BRASIL · Parcele suas compras em até 3 x sem juros com o Paypal, parcelas mínimas de R$ 50,00

Indicação do parceiro: Resumo fotográfico sobre o livro Fotógrafos sobre a fotografia

Por Ana Gabriela- "Fotógrafos sobre a fotografia" (Editorial Gustavo Gili, 128 páginas, 85 reais), de Henry Carroll, promete ajudar a ”olhar, pensar e tirar fotos como os mestres" e pode auxiliar nisso mesmo. O livro, que faz parte da coleção do autor lançada pela GG Brasil, reúne a percepção de 50 fotógrafos sobre a arte a partir de imagens, citações, textos e entrevistas.

A obra apresenta análises curtas que explicam o estilo de cada fotógrafo de maneira didática, partindo, sempre, de uma frase dita pelos artistas. Há fotógrafos consagrados, como os norte-americanos Dorothea Lange, Man Ray e Ansel Adams, e contemporâneos, a exemplo da alemã- norte-americana Esther Teichmann e da dupla Broomberg & Chanarin, da África do Sul e da Inglaterra.

As citações que introduzem cada texto não só funcionam como frases de efeito passíveis de serem colocadas nas redes sociais para impressionar os amigos, mas também trazem consigo reflexões profundas, como as discussões sobre a relação da arte com a captura do passado, o registro do real, a diferença entre o analógico e o digital e sua ligação com sentimentos de perda e posse.

Um exemplo de reflexão proposta pelo livro é sobre como o tamanho de uma foto interfere no que ela pode comunicar. Para a holandesa Hellen Van Meene, "o tamanho de uma fotografia é uma extensão do seu conceito" (p. 19). A artista retrata adolescentes em trabalhos de cerca de 28cm e, por meio deles, convida o espectador a se aproximar e a interagir com a obra.

Sobre o trabalho dela, Carroll explica no livro: "Se suas fotografias fossem maiores, nós interagiríamos com elas de forma muito diferente" (p. 19). Além das citações e da apresentação do que pensam esses artistas, há cinco entrevistas com fotógrafos contemporâneos, a exemplo da norte- americana Olivia Bee.

Outro mérito do livro é tratar de várias áreas da fotografia, como moda, paisagem, retrato, interiores, fotografia de rua e artística. Quanto à diversidade dos artistas selecionados, a obra privilegia notadamente a produção norte-americana e a européia, sobretudo a britânica, com algum destaque para os japoneses (a exemplo de Nobuyoshi Araki e Ryuji Miyamato) e pouquíssima participação de latino-americanos. O Brasil aparece representado pelo trabalho de Vik Muniz.

O autor do livro, Henry Carrol, é fotógrafo e tem outras obras na área, como "Leia isto se quer tirar fotos incríveis" e "Leia isto se quer ter muito sucesso no Instagram", também publicados no Brasil pela Gustavo Gili.

Compacto (14.4 x 20cm), "Fotógrafos sobre a fotografia. Olhe, pense e tire fotos como os mestres" é um livro fácil de carregar e atraente para quem curte fotografar e quer ter referências bacanas sempre consigo. O leitor pode buscar na obra autores que se aproximam de seus objetivos pessoais enquanto fotógrafo, utilizar o trabalho como propulsor de debates sobre a linguagem ou simplesmente aumentar suas referências para além dos artistas clássicos.

Citações da obra

Veja algumas citações do livro que ajudam o leitor a pensar nos aspectos filosóficos da fotografia:

"Finalmente descobri o que há de errado com a fotografia. É um homem caolho olhando por um pequeno buraco. Agora, quanta realidade pode haver aí?" — David Hockney, fotógrafo britânico, p. 14.

"Como consumimos imagens ou como elas nos consomem?" — Amalia Ulman, fotógrafa argentino-espanhola, p. 43.

"Quando você coloca quatro bordas em torno de alguns fatos, você muda esses fatos" — Garry Winogrand, fotógrafo norte-americano, p.54.

"Quando uma pessoa olha para uma fotografia que você tirou, ela sempre pensará nela mesma" — Jason Fulford, fotógrafo norte-americano, p.56.

"Tento tirar fotos como um alienígena" — Lars Tunbjörk, fotógrafo sueco, p. 78.

"Sempre achei que nossa relação com a fotografia estava condicionada por um sentimento subjacente de perda" — Bill Henson, fotógrafo australiano, p. 102.