Indicação do Parceiro: Visuarea sobre o livro Desenhe primeiro, pense depois

João Taboada - Comece a desenhar mesmo que você não tenha tempo, habilidade nem ferramentas, é o que sugere o subtítulo de Desenhe primeiro, pense depois, mais um lançamento da Editora Gustavo Gili do Brasil que trata da arte do sketch.

O sketch abordado aqui não se refere àquele ligado ao teatro, televisão ou artes cênicas, em geral, e que significa uma produção humorística reduzida. Falamos aqui do desenho feito de uma forma mais descompromissada, seja com a perfeição do traço, seja com a perfeição da pintura, e que serve ao registro rápido de ambientes ou dos momentos interessantes presenciados pelo artista.

Desenhe primeiro... é antes de tudo um livro prático. Sim, tem bastante texto e, por consequência, informações teóricas, mas, pelo menos até sua metade, se ocupa em instruir o leitor sobre macetes e materiais relacionados à arte do desenho livre utilizando-se para isso de ilustrações e fotos dos equipamentos do próprio autor, o designer e sketcher japonês Mike Daikubara. Para quem quer iniciar na atividade mas não sabe por onde, Desenhe primeiro, pense depois ajuda muito neste sentido.

 

Este é um livro de dimensões modestas, porém, super ilustrado, com desenhos de traço bastante livre mas, às vezes, de uma complexidade surpreendente. O autor em seu trabalho utiliza-se, basicamente, de nanquim, aquarela e, obviamente, um sketchbook. Digo “obviamente” porque o sketchbook é o suporte ideal para este tipo de trabalho onde os desenhos são, geralmente, feitos ao ar livre e precisam estar presos e apoiados em algum lugar. O próprio livro resenhado aqui já tem uma cara de sketchbook, não só pelo tamanho, mas também pela fitinha que prende a capa e o mantém totalmente fechado.

 

Quem está acostumado com uma pintura em aquarela mais suave, mais luminosa, provavelmente vai estranhar um pouco os exemplos deste manual. Daikubara tem um estilo de aquarelado mais fechado, similar ao guache, com preenchimentos que dão preferência aos vermelhos, terrosos e tons escuros, possivelmente privilegiando mais o registro do momento do que a estética das ilustrações.

 

Conclusão

 

Desenhe primeiro, pense depois é um livro levinho, fácil de manusear, de linguagem direta e simples. Sua objetividade o transforma numa ferramenta muito eficaz para aqueles que estão iniciando no sketch e que desistiram de usar a falta de tempo como desculpa. Quem realmente planeja desenvolver seu lado artístico e se encanta com a espontaneidade do desenho à mão livre, vai encontrar neste material uma ótima forma de começar.

 

Confira algumas imagens do livro:

 

Capítulos Ferramentas: visão geral e Caneta tinteiro de pena fude

Capítulos Noções básicas de perspectiva e Não pinte tudo

Capítulos Deixar para mais tarde e Todas as minhas ferramentas