Parcele suas compras em até 3 x sem juros com o Paypal, parcelas mínimas de R$ 50,00

Como criar uma fotografia > Contexto e narrativa em fotografia > Por trás da imagem > Como ler uma fotografia > O design da fotografia: 5 obras da Gustavo Gili Brasil

Por Juan Esteves

Criada em 1902 pelo catalão Gustavo Gili Roig (1868-1945), a Editorial Gustavo Gili a princípio se caracterizou pela publicação de livros técnicos. Já por volta de 1945 começou a publicar livros de arte, arquitetura e moda. A fotografia  entrou no elenco na década 1970 quando a cultura visual se tornou sua especialidade. Hoje a editora é dirigida por Mónica y Gabriel Gili Galfetti, a quarta geração da famíla.

Em 2012 a GG se instalou no Brasil,  trazendo títulos como O beijo de Judas. Fotografia e Verdade (GG, 1997)  e A Câmera de Pandora (GG Brasil, 2012)  do fotógrafo e pensador catalão Joan Fontcuberta; O fotográfico (GG, 2010) , da crítica e professora da História da Arte americana Rosalind Kraus; O imaginário segundo a natureza (GG, 2004) e Ver é um todo, Entrevistas e conversas, 1951-1998 ( GG, 2013) ambos do fotógrafo francês Henri Cartier-Bresson ( 1908-2004) entre outros clássicos cuja a vertente principal é o pensamento da imagem fotográfica.

Separamos aqui 5 boas publicações de autores ingleses, traduzidas para o português, cuja função é fazer a conexão entre o entendimento do fazer fotográfico e suas implicações mais ontológicas, com contextualizações em diferentes escolas e pensamentos e a difícil - mas necessária, prática através de uma oportuna pedagogia.  Em um mundo cada vez mais saturado de imagens, não há dúvidas que o entendimento da fotografia se tornou mais complexo e clama por  uma reflexão mais ampla que contemple tanto o amador quanto o profissional da imagem.

Como ler uma fotografia (GG Brasil, 2014) de Richard Salked, professor de História e Teoria da Arte na University of Gloucestershire, em Gloucester, traz uma reflexão sobre como seria nossa compreensão do mundo sem a imagem fotográfica e os desdobramentos na nossa cultura, propondo o entendimento do quanto essa diferença poderia nos influenciar. Em outras palavras, sua análise é o quanto a fotografia afeta a todos e de certa forma molda nosso conhecimento.

Curiosamente, afirma Salked, a maior parte da fotografia é invisível, vemos aquilo que ela mostra, mas não como algo em si mesma, apesar de um mundo cada vez mais lotado de imagens. Em seus capítulos há a digressão do meio desde sua invenção e como a fotografia nos afeta.

Uma síntese bem elaborada sobre a teoria da semiótica, que nos conduz a um processo de leitura mais apurado, uma reflexão sobre a veracidade da mídia e como enxergamos os outros e a nós mesmos, bem como a difícil discussão - e embate, com a arte estabelecida. Livro repleto de cases de diferentes e raros autores que ampliam o conhecimento teórico. Nele se destaca, entre outros,  o húngaro Zoltán Glass (1903-1982) cuja exuberância da cor em seu trabalho trouxe à tona o otimismo da década de 1960.

Por trás da Imagem.Pesquisa e prática em fotografia (GG Brasil, 2013) de Anna Fox, fotógrafa e professora na University for the Criative Arts, em Farnham e Natasha Caruana, fundadora do consagrado Studio Strike de Londres e também professora na mesma universidade, esclarece as coisas que mais incomodam os iniciantes: como produzir um projeto fotográfico. Desde sua gênese até a sua finalização, a discussão da imagem vernacular  e àquela mais globalizada.

O livro propõe o entendimento desde o início de uma pesquisa mais séria para embasar os projetos, como eles podem se materializar e, mais interessante, coloca ao leitor, de uma maneira didática, como lidar com a complexidade das influências que estão por trás das fotografias, desde as questões mais conceituais até aquelas mais práticas e técnicas. Um excelente texto que ajuda na compreensão de tanta informação que precisa ser decodificada, mastigada e aplicada. Como exemplos elas vão da street photography da americana Vivian Maier (1926-2009) até a arte mais conceitual do alemão Joachim Schmidt.

Como Criar uma Fotografia (GG Brasil, 2015) de Mike Simmons, fotógrafo, professor e pesquisador na De Montfort University, em Leicester, esclarece um elo fundamental na produção autoral que é a construção de uma imagem fotográfica mais peculiar. Pode parecer algo simples a primeira vista, mas este quesito abriga profundas complicações uma vez que a fotografia é “deliberadamente construída por um processo criativo”.

O livro aborda o processo de criação do seu planejamento,  seja para apenas uma imagem ou para um ensaio,  sua sistemática e andamento, até a sua finalização, e o que é mais oportuno, a difusão dos resultados obtidos. Simmons conduz o leitor através de diversos segmentos da fotografia, das mais clássicas como as paisagens e os retratos, até aquelas mais abstratas, com estudos de cases de autores como o inglês Tom Stoddart, premiado pelo WPP e a inglesa Mandy Barker, várias vezes premiada pelo Lens Culture.

O design da Fotografia (GG Brasil, 2014) do  fotógrafo  Jeremy Webb, autor do excelente Creative Visions: Traditional Methods for Inspiring Innovative Photography (AVA Publishing, 2005) comenta os primeiros passos para uma metodologia do design das imagens fotográficas, cujo principal fator é adicionar maior profundidade ao seu conteúdo. A compreensão da composição da fotografia é essencial na transmissão de sua ideia e carrega em si mesma diferentes fundamentos para sua expansão.

Webb discute enquadramentos e ângulos, como estes podem ser potencializados através de manipulações e de associações harmoniosas. A luz, cor, justaposições, linhas e formas acabam por intervir no conjunto da fotografia. Ele usa como exemplo, entre outras imagens,  as paisagens do francês Pascal Renoux e o minimalismo do  canadense Michael Levin. O livro também aborda uma questão essencial nos nossos tempos contemporâneos que é a escala da imagem. Em resumo, o autor fornece subsídios através de cases para que o fotógrafo iniciante, e até aquele já profissional, possa estruturar por completo suas fotografias.

Contexto e narrativa na fotografia (GG Brasil, 2013) da fotógrafa e escritora Maria Short, professora na Brigthon University, em Brighton,  procura explicar a vertente mais comunicativa da imagem fotográfica, trabalhando os elementos necessários para contar ou transmitir ideias. Ela explora o contexto da narração das imagens fotográficas, seja individualmente ou em séries, para a construção de um discurso coerente e de alcance do público.

Maria Short trabalha com os conceitos tradicionais que fazem parte da linguagem como um todo voltada para a comunicação. A ideia de um emissor, da mensagem e do público, signos, simbologias, metadados constantes das questões abordadas pela semiótica e pela linguística se constituem em um estudo chave para uma comunicação visual de sucesso. O livro traz exemplos tanto de fotógrafos clássicos como Henri Cartier-Bresson, até mais experimentais como a londrina Britta Jaschinski.

Imagens © dos autores    
Texto © Juan Esteves

PLUS+
www.ggili.com.br
www.michaellevin.ca/bw-work.html
pascalrenouxphoto.format.com
www.tomstoddart.com
mandy-barker.com
www.brittaphotography.com

Juan Esteves, nascido em Santos, SP, é fotógrafo e jornalista há 30 anos. Escreveu para o caderno Ilustrada da Folha de S.Paulo, onde foi fotojornalista e editor de fotografia. Foi colunista da revista Iris Foto e do portal Fotosite, onde também foi editor, além de colaborar com diversas revistas como a SeLecT, Santa Art Magazine e Fotografe Melhor. Suas imagens já foram publicadas pelas editoras Penguin ( Inglaterra), Rizzoli ( Itállia), Autrement ( França) Editorial Crítica ( Espanha), Rive Gauche (China) e Yale University (EUA) entre outras. blogdojuanesteves.tumblr.com